O trabalho e a formação do professor de inglês

Nas redes sociais, sempre recebo perguntas de como se tornar professor de inglês, quais os caminhos e qual é a formação ideal. Costumo dar algumas orientações básicas e esclarecer sobre o dia a dia da profissão.

O trabalho de um profissional professor de inglês vai muito além da aula. Pode parecer simples, mas é extremamente desafiador e exige bastante conhecimento linguístico e de como funciona o ensino-aprendizagem de crianças, adolescentes e adultos.

Além disso, cada hora-aula exige bastante tempo de preparo prévio e posterior para que os objetivos de curto, médio e longo prazo sejam alcançados. E isso tudo tem que ser entregue com leveza, firmeza e muita motivação.

Conhecimento da língua

A complexidade da profissão de professor de inglês como língua estrangeira começa quando ele começa a aprender a língua e isso ocorre muito antes da faculdade.

Ao contrário do que muitos pensam, não aprendemos a língua inglesa estudando Letras. Já temos que entrar na faculdade com o conhecimento da língua e lá nos aprofundamos. A grande maioria dos bons profissionais de inglês atuantes no mercado estudam inglês desde a infância ou adolescência.

Formação

Não basta ter morado no exterior e ter um certificado de proficiência para um professor que queira realmente seguir essa carreira. A graduação mais comum é em Letras, mas também conheço excelentes profissionais que fizeram outra graduação e que depois fizeram complementação pedagógica ou uma pós-graduação na língua inglesa.

O certificado de proficiência que tem mais valor no mercado hoje é o Cambridge CPE

o maior nível na escala CEFR

A vivência em um país cuja língua principal é o inglês também contribui bastante na formação desse profissional, ampliando seu conhecimento linguístico e de mundo. O sonho de todo professor é ter essa experiência internacional e realizar esse sonho conta muito para sua confiança enquanto profissional da língua inglesa.

Experiência profissional

Nada substitui a experiência. Quanto mais prática esse profissional tiver, mais benefícios ele terá para oferecer aos alunos. Em sua caminhada, ele aprende cada vez mais vocabulário, uso da língua e quais os melhores recursos e materiais para cada tipo de aluno. Ele aprende o que dá certo e o que não funciona em cada situação.

Professores em início de carreira geralmente começam dando aula em cursos menores para ganhar experiência enquanto se especializam ou estudam para obter um certificado de proficiência. Isso abre portas em cursos de maior porte ou em um mestrado.

Preparação das aulas

Após a identificação do nível do aluno, o professor particular deve selecionar o melhor material bem como os recursos que ele sabe que esse aluno terá mais interesse em utilizar. No meu caso, minha aula não é só o encontro via videoconferência: eu separo material diário para enviar para o aluno e isso requer dedicação.

Além disso, as aulas dadas em um mês, por exemplo, não são pré-definidas desde o início. Sabemos para onde queremos ir, mas o dia a dia das aulas vai nos guiando e mostrando se devemos diminuir o passo, se devemos pular um conteúdo, revisar outro e assim também vamos nos adaptando ao ritmo e progresso de cada aluno.

Além de toda essa organização e adaptação constante, corrigimos o dever de casa e selecionamos o material do dever seguinte, sempre atentos ao objetivo geral do aluno e aos objetivos de cada aula dada. Antes de ensinar, o professor precisa aprender sobre a área de atuação de cada aluno para que selecione o vocabulário adequado e relevante.

Motivação

Os objetivos dos meus alunos são os meus objetivos e é nosso trabalho atingir essa meta juntos. Isso requer do professor motivação intrínseca para não deixar a peteca cair, nem a sua própria e nem a de seu aluno.

O investimento é grande por parte do aprendiz (tanto de tempo quanto financeiro) e devemos evitar ao máximo o desgaste emocional que muitas vezes ocorre nesse processo. Cabe ao profissional saber levar as aulas com leveza e ao mesmo tempo com o profissionalismo e seriedade que isso exige.

Desenvolvimento profissional

Um professor, especialmente um professor de línguas, precisa estar em constante desenvolvimento profissional. Ele precisa estar constantemente antenado às mudanças globais, novidades, novas tecnologias e pesquisas novas sobre a aquisição de segunda língua.

Não basta ter experiência e títulos: ele precisa estar em constante desenvolvimento profissional para garantir qualidade em suas entregas. Como em toda profissão, aquele que opta por esse caminho deve gostar do que faz e entender a importância desse ofício para a sociedade como um todo.

É muito importante que o aluno que decide investir em aulas particulares de inglês saiba distinguir entre diferentes prestadores de serviço. Profissionais experientes com formação acadêmica acrescentarão muito mais ao aprendiz do que pessoas que estão nessa função como “bico” ou como algo temporário.

Como esse investimento é de longo prazo, é importante que o aluno realmente saiba o que ele espera das aulas. Por exemplo, se você espera somente bater papo para praticar a oralidade, talvez uma pessoa que saiba bem a língua e que não seja professor bastará. No entanto, se o objetivo é mais amplo, peça a ajuda de alguém com formação profissional da área. Certamente ele terá muito mais a lhe oferecer.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Mapa do site
Posts recentes
  • Facebook_eclassroom
  • YouTube Icon eClassroom
  • LinkedIn Icon Erica Nogueira
  • Branca Ícone Instagram

© 2017 Site desenvolvido por Café com Jasper

  • YouTube Social  Icon
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram eclassroom